sábado, 18 de agosto de 2018

A Oração Insistente


E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer,
Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.
Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.
E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens,
Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.
E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.
E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?

Lucas 18:1-8

E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer,
Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.
Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.
E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens,
Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.
E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.
E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?

Lucas 18:1-8
E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer,
Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.
Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.
E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens,
Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.
E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.
E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?

Lucas 18:1-8
 LC 18.1-8
E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer,
Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.
Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.
E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens,
Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.
E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.
E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?

Lucas 18:1-8
E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer,
Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.
Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.
E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens,
Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.
E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.
E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?

Lucas 18:1-8

Introdução: A pressa da justiça está vinculada a determinação na oração. Temos um dever na terra que precisa ser compreendido, a oração é o governo do Reino.
Quais são os grandes objetivos da oração insistente?
1.       RESTAURAR O REINO NA TERRA
Deus deu a terra aos filhos dos homens
Os céus são os céus do Senhor; mas a terra a deu aos filhos dos homens. Salmos 115:16
O governo da terra era nossa até o pecado quebrou o governo do homem, Jesus restaurou a nossa justiça pela fé para que nós possamos restaurar o Reino de Deus para o verdadeiro Senhor.
As palavras que saem da nossa boca precisam estabelecer o Reino na terra.

Precisamos clamar pelo arrependimento, pela transformação, clamar a verdade da Palavra reinando sobre as dificuldades da terra de forma insistente pois para todos os que propagam essa oração receberão de pressa a resposta da Justiça de Deus.

Não podemos mudar esse mundo mas nosso papel é salgar e iluminar então vamos orar para que as injustiças caiam por terra. É chegado o tempo do juízo onde Deus irá estabelecer a sentença sobre todos aqueles que não quiseram dar ouvidos ao chamado do seu amor.

2.      Fortalecer a nossa fé
Quando eu oro eu estou vinculando na minha própria mente o conceito e os princípios do reino. Vinculando a verdade que liberta e proclamando a mudança.
Quem ora por justiça será saciado e farto.

Os céus são os céus do Senhor; mas a terra a deu aos filhos dos homens. Salmos 115:16

A fartura virá sobre o que clama com insistência. Você tem sido insistente em orar ou tem se deixado vencer pela injustiça?
A fé é facilmente vencida quando não somos insistentes em crer. Precisamos manter a postura de perseverança e continuar insistentes naquilo que acreditamos.
Por isso precisamos ouvir e ouvir, orar e orar, adorar e adorar... é um processo continuo. Fé está sempre em movimento. Então se movimente para ganhar e ganhar vidas para Deus!

3.      Orar me coloca em conexão com a Vontade de Deus
Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. Lucas 22:42
Um dos grandes propósitos da oração não é mudar a vontade do Pai e sim a minha vontade se colocar em confiança na vontade dEle. A intimidade com Deus é fazer conhecidas as minhas suplicas e necessidades para que eu também consiga ouvir a vontade de Deus para minha vida.
Conclusão: nossas oração são aceleradoras do justo juízo do Pai e vão trazer a justiça à essa terra. Vamos clamar pelo Brasil, pelos políticos, vamos clamar pelos necessitados, vamos orar pela vida e Deus terá o prazer de trazer sua justiça de pressa.

Mas a primeira oração é essa: vamos orar para que as pessoas saiam do rumo da espada de Deus para entrarem debaixo do seu manto de Justiça. É simples é só se entregar agora ao Senhor Nossa Justiça (Jr. 23.6)
É tempo de salvação então vamos nos entregar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O CHAMADO A MESA DO REINO

E, ouvindo isto, um dos que estavam com ele à mesa, disse-lhe: Bem-aventurado o que comer pão no reino de Deus. Porém, ele lhe diss...